sábado, 28 de maio de 2011

Exercícios para o hora do parto.



FASES DO TRABALHO DE PARTOÉ preciso saber que o trabalho de parto possui quatro fases distintas:
LATENTE, ATIVA, TRANSIÇÃO E EXPULSÃO.

FASE LATENTE: de 1 a 4 cm de dilatação.
É a fase em que a mulher começa a sentir as primeiras contrações, o momento em que o colo começa a se afinar e abrir (dilatação).

As contrações são espaçadas a cada 10 minutos, mais ou menos, e duram cerca de 30 segundos. (Deve-se começar a contar o inicio do TP quando ficar mais de uma hora nesse ritmo)

Pode ocorrer um pouquinho de sangramento genital ou sair um muco meio amarelado como catarro, que chamamos de tampão mucoso.

Algumas mulheres sentem vontade de ir ao banheiro a todo momento, outras sentem náuseas, outras nada sentem, isso varia muito de pessoa para pessoa.

A dor nesse momento é suave, concentrando-se na respiração e relaxando, é possível descansar um pouco para o próximo período, inclusive tirar alguns cochilos. (que farão muita diferença no fim do processo de parto)

Pode-se também utilizar chuveiro, banheira e bola de pilates para aliviar a dor das contrações, o que ajuda bastante!

É importante também, alimentar-se com coisas leves e que dêem energia, como um chocolate, por exemplo, e beber muuuuuuuita água!
FASE ATIVA: de 4 a 8 cm.
Nessa fase a mulher começa a sentir-se incomodada com as posições em que fica, já não consegue mais ficar parada por muito tempo, e é MUITO IMPORTANTE que se movimente para a dilatação ocorrer mais facilmente.

Existem uma série de posições e exercícios para ajudar nessa fase, vejam alguns exemplos de posições abaixo:



O mais importante é guiar-se pelo instinto e procurar as posições que mais lhe agradem, lembrando-se de beber muita água também nesse período.

As contrações ficam menos espaçadas, chegam a 3 em 3 minutos e com duração de 40 a 50 segundos.

Lembrando que esse é um processo de parto natural, ou seja, sem indução com ocitocina sintética.

FASE DE TRANSIÇÃO: 8 a 10cm.
Nessa fase é o momento em que as contrações ficam mais fortes e numa seqüência "frenética".

Geralmente, é o momento em que as mulheres pedem "arrego", dizem que não vão agüentar mais e tal.

Isso ocorre porque o organismo libera hormônios como a adrenalina, que fazem-na sentir medo, sono, tremedeira, (dentre outras coisas como defecar e urinar muitas vezes), tudo ao mesmo.

Esse período é muito curto, dura de 30 a 40 minutos e logo em seguida a mulher já estará na fase expulsiva.
FASE DE EXPULSÃO (EXPULVIVO): 10 cm de dilatação!

Geralmente as mulheres quando são informadas que estão com 10 cm sente-se vitoriosas. Isso é muito bom. Porém, saibam que o expulsivo pode demorar ainda algumas horas, se o processo natural for respeitado.

A dor nessa hora fica diferente, um pouco mais tranqüila às vezes, até que a mulher começa a sentir os puxos, que é a vontade de fazer força, como se fosse defecar, o que pode acontecer inclusive, pois é totalmente normal.

O puxo vem instintivamente, naturalmente, sem que seja necessário nenhum médico ou enfermeira ficar comandando-lhe para fazer ou até utilizando outros recursos ou manobras.

Infelizmente, em muitos casos, não é respeitado esse tempo do corpo da mulher e ela acaba sendo "comandada" a fazer força e passa por episiotomia desnecessária para adiantar o trabalho dos médicos.


Quando vem a vontade de fazer força o processo fica mais tranqüilo e se a mulher for "deixada em paz", o expulsivo pode ser muito rápido.

Bem, para terminar é fundamental que para aceitar a dor, a mulher tenha a informação de que DÓI sim, muito além da imaginação. Mas se você está preparada pra ela, você a verá como a força das deusas. Uma aliada para trazer seu filho ao mundo!

Acredite que dói e que essa dor faz parte do processo, porque essa dor é o seu corpo trabalhando junto com o corpo do bebê, e que essa dor é necessária para você parir seu filho por uma questão evolutiva: caixas cranianas para conter cérebros pensantes grandes demais, para nossas bacias de bípedes. É só isso.

É completamente diferente da dor ignorante, da dor da religiosa que acredita estar pagando pelos pecados de Eva, da dor sofrimento das mães que "não querem isso para suas filhas" e lhes recomendam a maravilha moderna da cesárea.

Eu defendo a dor compreendida e compartilhada, defendo e vejo-a como a DOR DA VIDA E DA TRANSFORMAÇÃO!

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Ta de parabéns
    E concordo muito com oq vc falow
    Também acho que a dor faz parte da vida e transformação
    Estou com 34 semanas falta muito para ter meu filho no colo MIGUEL
    Mais quero muito ter parto normal ñ quero cesárea de jeito nenhum mais vai da vontade de Deus

    ResponderExcluir
  3. Ta de parabéns
    E concordo muito com oq vc falow
    Também acho que a dor faz parte da vida e transformação
    Estou com 34 semanas falta muito para ter meu filho no colo MIGUEL
    Mais quero muito ter parto normal ñ quero cesárea de jeito nenhum mais vai da vontade de Deus

    ResponderExcluir